AGUIAR, Manuel Álvaro Madureira Marques de

Zona de identificação

tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

AGUIAR, Manuel Álvaro Madureira Marques de

Forma(s) paralela(s) de nome

Forma normalizada do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

1927-2015

história

Manuel Álvaro Madureira Marques de Aguiar nasceu no Porto, a 8 de janeiro de 1927 e faleceu em 2015. Era filho de Manuel Álvaro Marques de Aguiar e Antónia Henriqueta Madureira e Castro Marques de Aguiar e teve 4 irmãos.
Entrou na Escola de Belas Artes no curso de arquitetura em 1943. Diplomou-se em urbanismo pelo Institut d’Urbanisme de Paris em 1954 (três bien) e em arquitetura pela Escola de Belas-Artes do Porto e 1955 (20 valores).
Em 1961 casou com Maria Antónia Sousa Guedes Álvares Ribeiro Marques de Aguiar, com quem teve cinco filhas.

Dos anos de formação destaca-se a sua continuidade do desenho (desde as aulas da Escola de Desenho Industrial Faria de Guimarães, no Bonfim, em 1937), o papel de Carlos Ramos no ensino da arquitectura das Belas Artes, e finalmente, dos anos no Institut d’Urbanisme de Paris (1950/51, 1951/52) o alargamento a matérias de dimensão humanista e de rigor científico com Max Sorre, Jean Royer, Robert Auzelle, Pierre Lavedan e Gaston Bardet.
Marques de Aguiar desenvolveu a tese final do curso de urbanismo sob a orientação de Robert Auzelle "Réconstruction à Long Terme : étude d’un vieux quartier de Porto. Propositions de réaménagement. Examen Critique et méthode". Por esta altura promoveu, com Carlos Ramos, a vinda de Auzelle para o curso de Verão nas Belas Artes, em 1955 e, junto do presidente da Câmara J. Machado Vaz, a sua contratação para “resolver o problema das ilhas”.

A partir de 1956, Marques de Aguiar integrou os Serviços de Urbanização como urbanista da região norte e, entre 1962 e 1996, assumiu o lugar de consultor de urbanismo da Câmara Municipal de Espinho. Mas, ao longo do seu percurso profissional, manteve o trabalho de arquitetura (escritório situado no Porto: inicialmente na praça do Município, posteriormente na rua Sá da Bandeira, Gonçalo Cristóvão e, por fim, no Foco).

Este trabalho de 3 décadas culminou na coordenação da equipa da Direcção Geral de Ordenamento do Plano de reconstrução de Angra do Heroísmo, com a autoria dos 3 planos de pormenor (“Plano de Pormenor da Carreirinha" , fase 1 e 2, e “Plano de Pormenor da Silveira-Fanal" e ” Plano de Pormenor do Desterro-Guarita", 1982).

Nos projectos e obras de arquitectura identifica-se a procura de uma forte integração urbana recriando espaços de vivências de encontro.

Locais

status legal

funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Ocupações

Zona do controlo

Identificador do registo de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Mínimo

Datas de criação, revisão ou eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

Notas de manutenção

  • Área de transferência

  • Exportar

  • EAC

Assuntos relacionados

Locais relacionados