SI ATG - António Teixeira Guerra

Original Objeto digital not accessible

Zona de identificação

Código de referência

PT FIMS ATG

Título

António Teixeira Guerra

Data(s)

  • 1946-2012 (Produção)

Nível de descrição

SI

Dimensão e suporte

Peças desenhadas: 4499; papel.
Peças escritas: aprox. 5 m/l; 63 pastas; papel.
Fotografias: 103.

Zona do contexto

Nome do produtor

(1929 - 2012)

História biográfica

António Maria de Calça e Pina Teixeira Guerra nasceu a 7 de fevereiro de 1929 em Santa Maria de Belém, Lisboa, filho do Dr. Rui da Fonseca e Sousa Camões Teixeira Guerra e de Mariana de Sousa Menezes de Calça e Pina Teixeira Guerra. Casou-se com Martine Anne Marguerite Françoise Marie de Stoop Teixeira Guerra, com quem teve 3 filhos e 1 uma filha.
António Teixeira Guerra viveu a sua juventude quase toda no estrangeiro, em virtude das missões diplomáticas do seu pai, cônsul e embaixador. Teixeira Guerra estudou no Canadá, na Alemanha, nos EUA, Inglaterra, França e na Suíça. O pai foi um dos principais promotores da política de integração de Portugal na E.F.T.A. e instalou o primeiro consulado de Portugal no Canadá. Por isso, António Teixeira Guerra viveu no Canadá entre os 8 e os 12 anos, mudando-se para Berlim em 1940, no período de governo nazi. A família mudou-se no ano seguinte para os Estados Unidos da América, onde António terminou o liceu em 1946. De 1946 a 1947 frequentou o 1º ano da Escola de Arquitetura da Universidade de Manchester.
A opção de Teixeira Guerra pela arquitetura foi, segundo ele, consequência do seu talento para a matemática e para o desenho. Tirou o curso de Arquitetura e Urbanismo na Escola de Arquitetura e Urbanismo da Escola Politécnica da Universidade de Lausanne, na Suíça. O projeto final de curso é de 1955, tendo obtido o Diploma de Arquiteto a 22 de julho de 1955. Ainda na Universidade de Lausanne exerceu as funções de assistente de Jean André Tschumi, fundador e 1º presidente da União Internacional dos Arquitetos (UIA) e Diretor da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Lausanne nessa altura.
Entre 1957 e 1975, António Teixeira Guerra foi consultor e colaborador do Instituto Nacional de Investigação Industrial (INII), em Lisboa, contribuindo para a estruturação e organização iniciais desse instituto, colaborando na criação do seu Núcleo de Arte e Arquitetura Industrial em 1960, e promovendo várias ações para a melhoria do “desenho industrial” a nível nacional. Ainda em 1960, e pela ação de Teixeira Guerra, o INII realizou a sua primeira apresentação pública na Exposição de Embalagem na FIL (Feira Internacional de Lisboa), com um stand da autoria do arquiteto e designer António Sena da Silva e com a colaboração dos designers António Garcia e Luís Filipe de Abreu. No âmbito da sua ação no INII, António Teixeira Guerra destacou-se como consultor em matéria de planeamento regional e turístico: em colaboração com o Dr. José da Silva Lopes elaborou as bases para o primeiro Plano de Desenvolvimento Turístico de âmbito nacional em Portugal, projetou e acompanhou programas de assistência técnica para a E.F.T.A. e a O.C.D.E., participou em negociações para programas de assistência técnica no âmbito de instituições europeias, nomeadamente entre Portugal e a Suíça, e organizou várias conferências, colóquios e ações didáticas.
António Teixeira Guerra criou a ADR – Agência de Desenvolvimento Regional, Lda., uma sociedade de estudos e projetos de urbanismo e arquitetura onde se abordava problemáticas com componentes pluridisciplinares, como planificação urbana, regional, turística, mobilidade e industrial. Através desta agência, Teixeira Guerra concretizou vários projetos de urbanismo e arquitetura, tais como as instalações do DIALAP - Sociedade Portuguesa de Lapidação de Diamantes, SARL, de 1960, em colaboração com o arquiteto e professor Carlos Manuel Ramos, o plano de urbanização do Conjunto Turístico de Nova Belas, em 1979, o Plano Geral de Remodelação do Centro Urbano de Vila do Conde, de 1980, e a Reabilitação do Castelo do Crato, de 1992.
No ano de 1979 esteve na Universidade da Califórnia, em Irvine, como investigador visitante convidado na área da antropologia urbana e da programação operacional. Aqui delineou o seu primeiro projeto criativo para o Castelo do Crato.
Os seus projetos de obra são diversificados e presentes em vários pontos do país, com destaque para as regiões da Grande Lisboa, Alentejo e Algarve. As tipologias mais presentes são a arquitetura industrial e os planos urbanísticos para conjuntos residenciais turísticos. O seu atelier situava-se na Av. Infante Santo, Lisboa.
A obra a que António Teixeira Guerra se dedicou com mais paixão foi a recuperação e reconversão do Castelo do Crato, cuja ruínas tinham sido adquiridas pelo seu pai, o Dr. Rui Teixeira Guerra, em 1939. Em abril de 1989, o pai, em representação da sociedade Centro de Estudos e Intercâmbio Turístico do Crato Lda., então dissolvida, doou o castelo à Câmara Municipal do Crato. António Teixeira Guerra, que até então estava convicto que receberia o castelo por doação do pai, fez nesse mesmo ano um contrato com a Câmara Municipal do Crato para recuperação e valorização do castelo, através de uma concessão por 99 anos à sua Agência de Desenvolvimento Regional. Ligado a este projeto, Teixeira Guerra fundou a Fundação do Castelo do Crato, que pretendia ser um centro de investigação e de alta-tecnologia, focada nos meios audiovisuais, com uma área de museu dedicada ao património artístico mundial, no reabilitado castelo.
António Teixeira Guerra morreu em 2012.

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

O conjunto informacional foi doado pelos herdeiros, filhos de António Teixeira Guerra, mediante contrato de doação assinado em 30 de agosto de 2021.

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

O conteúdo informacional é composto pela documentação produzida e acumulada pelo arquiteto António Teixeira Guerra no decurso da sua formação e da sua atividade profissional como arquiteto e urbanista, contendo principalmente processos de obra/projeto.

Avaliação, seleção e eliminação

Incorporações

Sistema de informação fechado.

Sistema de arranjo

Orgânico-funcional.

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

A disponibilização da informação será feita parcialmente. O acesso à informação poderá ser feita nas instalações da FIMS, mediante marcação prévia e sujeita ao horário de funcionamento da instituição.

Condiçoes de reprodução

A reprodução dos documentos encontra-se sujeita a algumas restrições tendo em conta o seu tipo, o seu estado de conservação ou o fim a que se destina e carece sempre de autorização prévia da FIMS, enquadrando-se no Regulamento interno de reprodução de documentos. Está, ainda, sujeita à legislação sobre direitos de autor e direitos conexos.

Idioma do material

    Script do material

      Notas ao idioma e script

      Características físicas e requisitos técnicos

      Instrumentos de descrição

      Zona de documentação associada

      Existência e localização de originais

      Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva

      Existência e localização de cópias

      Unidades de descrição relacionadas

      Descrições relacionadas

      Zona das notas

      Nota

      Lista de Processos de obras de arquitetura/urbanismo do arquiteto

      • 1959 - Vivenda Eng. João Serra
      • 1959 - Hotel das Caldas do Cró
      • 1960 - Instalações da DIALAP
      • 1960 - Monte para José Tavares Machado - Crato
      • 1960 - Parque Residencial de Nova Oeiras
      • 1960 - Ponte Tejo Concurso
      • 1960 - CTT Coruche
      • 1961 - Campo de Tiro do Clube de Ténis de Portalegre
      • 1962 - Concurso para a Igreja do Sagrado Coração de Jesus
      • 1962 - Centro de Assistência - Grupo de Formacão Social da Venda Nova
      • 1962 - Grupo Escolar e Anexos Culturais da Rua S. Francisco Xavier
      • 1963 - Casa do Povo de Maiorca - Centro Social de Santo Amaro da Bouça
      • 1964 - Benagil - Varandas do Mar
      • 1964 - Rio do Ouro - 4 Vivendas para o Sr. José Mexia
      • 1964 - Urbanização do Parque Residencial do Banzão, Colares
      • 1964 - Casa de Férias no Banzão
      • 1965 - Plano Turístico da Quinta dos Capuchos
      • 1966 - Plano de Aproveitamento Turístico da Ilha da Madeira - Portas do Mar - Balcões do Mar
      • 1966 - Plano Turístico no Algarve
      • 1966 - Soltroia - Núcleo A e Unidade Residencial
      • [1966] - Estudo de Aproveitamento Turístico - Câmara de Lobos
      • 1967 - Sede C. Santos, Lisboa - Stand e Armazém de peças
      • 1967 - Casa de Fim-de-Semana - Figueira do Guincho
      • 1968 - C. Santos S.A.R.L. - Olhão - Novas Instalações Oficinais
      • 1968 - C. Santos S.A.R.L. - Núcleo Residencial Turístico em Alcoitão
      • 1969 - C. Santos S.A.R.L. - Coimbra
      • 1969 - Hotel Quinta de Santa Catarina, Figueira da Foz
      • 1969 - C. Santos S.A.R.L. - Quinta do Gólgota, Porto - Estudo de Aproveitamento Urbano
      • 1970 - Residência Eng. Pedro Brito Correia - Estoril
      • 1970 - Residência Pizarro - Dafundo, Oeiras
      • 1970 - Palmares - Golf Club e Bungalows
      • 1970 - Residência Particular Quinta da Princesa - Corroios - Seixal
      • 1970 - Residência do Eng. Gonçalo da Fonseca
      • 1970 - Quinta da Vela - Residência Particular, Trafaria
      • 1971 - Monte da Aroeira - Núcleo Residencial Turístico
      • 1971 - Urbanização de Vale de Milhaços - Pinhal do Vidal - Moradias Contíguas de um Piso
      • 1971 - Clube da Quinta do Lago - Loulé
      • [1971] - Casa Lourenço de Almeida e Pavilhão de Caça
      • 1972 - Ingote Monte Formoso, Coimbra (plano urbano)
      • 1972 - Plano de Equipamento Turístico do Alentejo
      • 1973 - Moradia L. Dundas (Paço de Arcos)
      • [1975] - Casa da Emídea
      • 1979 - Vila Marques, Vilamoura
      • 1979 - Conjunto Turístico de Nova Belas
      • 1979 - Plano de Aproveitamento Turístico - Praia do Osso da Baleia - Pombal
      • 1979 - Quinta de Santo Amaro, Lisboa - Localização de Hotel
      • 1979 - Piscina e Centro de Convívio de Barcelos
      • 1980 - Residências G. Vidal - Alto do Dafundo
      • 1980 - Urbanização do Bairro do Rosário - Mercator - Cascais
      • 1980 - Rochões da Beira Mar - Sesimbra
      • 1980 - Vila do Conde - Plano Geral de Remodelação do Centro Urbano
      • 1980 - Piscinas Estremoz (concurso)
      • 1980 - Residência Hanley-Larosière
      • [1980] - Alteração do Prédio na Rua Pau da Bandeira, Lisboa
      • 1981 - Vilas Romanas - Vilamoura
      • 1982 - Vila Edlmann - Quinta do Rouxinol - Estremoz
      • 1982 - Atlântida - Centro de Turismo e Talassoterapia, Figueira da Foz
      • 1984 - Instituto da Soldadura
      • [1984] - Palácio do Prior do Crato
      • 1989 - Bombeiros Voluntários da Trafaria - Projeto de Ampliação do Quartel
      • [1989] - Castelo do Crato
      • 1991 - Palácio Sá Nogueira - Crato - Projeto de Adaptação a Estalagem
      • 1995 - Projeto de Recuperação do Monte do Russo
      • [19--] - Prédio Tipo 1 - Lote 19 - Avenida Infante Santo - Alterações ao Projeto Inicial
      • [19--] - Igreja da Trafaria
      • [19--] - Núcleo Residencial Satélite - Carregueira - Belas

      Nota

      A documentação encontra-se em fase de tratamento.

      Identificador(es) alternativo(s)

      Pontos de acesso

      Pontos de acesso - Assuntos

      Pontos de acesso - Locais

      Pontos de acesso - Nomes

      Pontos de acesso de género

      Zona do controlo da descrição

      Identificador da descrição

      PT/FIMS/ATG

      Identificador da instituição

      Regras ou convenções utilizadas

      Estatuto

      Preliminar

      Nível de detalhe

      Datas de criação, revisão, eliminação

      Línguas e escritas

      • francês
      • inglês
      • português

      Script(s)

        Fontes

        Nota do arquivista

        Documentação organizada e descrita por Conceição Pratas e José Guilherme Gouveia.

        Objeto digital (Mestre) zona de direitos

        Objeto digital (Referência) zona de direitos

        Objeto digital (Icone) zona de direitos

        Área de ingresso