DC 0290 - Recuperação dos antigos Paços do Concelho

[Vista exterior da Casa dos 24] [Fotografia de época da construção da Casa dos 24] [Esquissos de corte e perspetiva] [Esquisso de planta geral de implementação] Ante-projecto: Perfis Ante-projecto: Plantas

Zona de identificação

Código de referência

PT FIMS TAV-2-2.2-2.2.3-2.2.3.1-2.2.3.1.2-01-0290

Título

Recuperação dos antigos Paços do Concelho

Data(s)

  • 1995-2003 (Produção)

Nível de descrição

DC

Dimensão e suporte

56 peças desenhadas; 3 pastas de peças escritas; imagens fotográficas; 3 maquetas; papel; balsa.

Zona do contexto

Nome do produtor

(1946-1996)

História administrativa

Fernando Távora exerceu atividade de arquiteto, como profissional liberal, de 1946 a 1996, no seu escritório da Rua Duque de Loulé, nº 98, 3º esq., freguesia da Sé, Porto.

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

  • Dados sobre a obra
    • Autor: Fernando Távora
    • Estado da obra: realizada
    • Localização: Porto / Sé
    • Requerente: Câmara Municipal do Porto
    • Tipo de construção: recuperação de edifício para memorial e exposições
  • Outras Informações
    • Áreas: área bruta 543 m2
    • Colaboradores: Carlos Martins, Isabel Silva, Ricardo Câmara, Alexandra Borges, Catarina Gomes, Dina Henriques, Miguel Figueiredo e Susana Martins
    • Construtor: Sonaco - Sociedade Nacional de construções
    • Custos: custo total - 816.727 euros
      Custo/m2 - 1500 euros)
    • Electricidade: Rodrigues Gomes e Associados
  • Especialidades
    • Estruturas: GOP, Engº João Maria Sobreira
    • Águas: Vítor Abrantes - Consultoria e projectos de engenharia
    • Mecânica: Rodrigues Gomes & Associados - Engº José Silva Teixeira
  • Tecnologia/materiais
    • Estrututa em betão armado e ferro
    • Paredes revestidas a granito serrado e Bujardado
    • Caixilharia em perfis de ferro e vidro duplo
    • Cobertura em estrutura de ferro e betão armado revestida a cobre
    • Pavimentos em lajeado de granito e soalho sobre estrutura em ferro
  • Cronologia
    • dezembro de 1995: estudo Prévio
    • setembro de 1996: anteprojecto
    • janeiro de 1998: projecto de execução
    • 2000: início da obra
    • outubro de 2003: inauguração

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Nota

"A cerca de seis metros da torre da Sé Catedral do Porto foi levantado no Século XV, aproveitando porventura parte da muralha dita "Sueva", um edifício-torre para instalação dos Paços do Concelho, conhecido por Casa dos Vinte e Quatro, uma vez que também ali se reuniam as Corporações.
O edifício, que se sabe ter tido 100 palmos de altura, uma sala ao nível do Terreiro da Sé e outra ao nível da Rua de S. Sebastião, foi objecto de acidentes vários até ao seu qási desaparecimento.
Uma vez que tal edifício foi lugar e significado do poder municipal é intenção do projecto proposto a sua transformação em memorial recordatório de longos anos de vida e de história da cidade do Porto, pela criação de um objecto arquitectónico que, invocando a torre outrora existente, em diálogo com as restantes da Sé e do Arquivo Histórico, possua um espaço interno capaz de emocionar os seus visitantes recordando-lhes tão glorioso passado.
Uma estrutura de paredes em U, repousando sobre parte da ruína existente, limita o edifício por três lados, enquanto o quarto se abre, como uma moldura, à leitura da cidade.
Se a volumetria exterior do edifício-objecto se enquadra no conjunto existente e sugere o dimensionamento e a forma da casa da torre evocada, o seu espaço interno, com acesso fronteiro à Sé, cresce fortemente um apelo vertical, deixando pressentir a sua altura de 100 palmos, em que precorrível por dupla escada, e afirma-se também frontalmente sobre a cidade que, entre os edifícios da Relação e dos Clérigos, vencendo o vale do Rio de Vila, se oferece à contemplação.
Uma espécie de caixa milagrosa que nos permitirá percorrer um espaço carregado de tempo."
Fernando Távora

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Línguas e escritas

  • português

Script(s)

Fontes

Zona da incorporação

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados